Conspiração

O céu anilado anunciava dança de estrelas. A temperatura amena anunciava corpos aquecidos. Era uma noite de namorados. Tudo conspirava a favor se não fosse o relógio – ela estava atrasada.
Ela perderia a dança das estrelas por estar atrasada. Seu corpo não seria aquecido por estar atrasada. Ela não teria mais o namorado por estar atrasada. Por uma fração de tempo ela não iria mais ao seu encontro.
Não houve beijos; não houve abraços, não houve...
O céu anilado foi presenteado por brumas prateadas, não houve dança de estrelas. A temperatura cai bruscamente, não houve corpos aquecidos. Seria uma noite de namorados, tudo conspirava para ser, se não fosse o relógio – Ela estava atrasada, não chegou a tempo de vê-lo partir.


Paulo Francisco


2 comentários:

Soaroir de Campos disse...

Lisonjeada com tua visita em Poete de Poesias deixo meu abraço e parabéns pelos encantadores minicontos. Gostei muito da traição do presente c o passado: "A temperatura cai bruscamente" À bientôt!

#*Marly Bastos*# disse...

Lindo e ao mesmo tempo triste, pois os desencontros traz dor dos dois lados.
Meu poeta celeste!
bjkas doces