Fatalidade

Os olhos se fecharam. Um último suspiro e pronto: lá estava um corpo estendido de braços abertos, pernas abertas, peito descoberto, boca aberta e um ruído medonho, não deixando ninguém em paz.
Madrugada infernal.

.
.
.
.
.
.
Ele não para de roncar!




Paulo Francisco

Nenhum comentário: