Promessa


Não sei até aonde chegaremos. Quero abraços apertados e desejos cumpridos num ritual. Beijos escancarados em corpos fechados ao natural. Sem promessas e nem juras eternas. Quero o instante. Estamos urgentes em nós dois. Não sei se chegaremos ao fim. Mas quero o começo de todo este encanto. O resto fica pra depois. O que eu quero é poder regar o amor. Descobrir o pavor e poder gritar. Raia de emoção, olho do furacão. Turbilhão em se dar. Não sei se chegaremos ao fim. Mas o começo é necessário. Tá no meu inventário: um dia vou te amar.


Paulo Francisco

4 comentários:

Denise disse...

Que lindo! Nada como um ritual de amor! Muita paz!

Ivone disse...

Que lindo isso, amar, levar a paixão às últimas consequências, não importa, pois o que importa é amar, é o hoje!
Abraços amigo poeta apaixonado!

lis disse...

Um dia quem sabe?
sim estamos urgentes_
vamos abrir o inventário ... tá? rs
gosto disto Paulo

frô disse...

Permeável... Muito permeável... Sinto isso, no momento. Sentia, em verdade... Desisti do começo.