Cavalheiro

Lembro a ti: Tenho alma e sei sentir. Em meus cortes o vermelho sangue se esvai. Sou temente a Deus. Juro! Cumpro a lei do amor. Não quero ser um pecador. Não sei fazer tocaia. Sou um livre pensador. Tenho em mim o desejo e só te quero bem. Não crio imagens falsas, sou escravo de meus anseios. Sou uma peça da natureza. E se não tenho beleza, sobra nobreza em meu coração.


Paulo Francisco

2 comentários:

Ivone disse...

Bom dia amigo poeta Francisco!
Lindo seu sentir, amei!
Abraços!

Simone MartinS2 disse...

Que lindo!
Nobre mesmo,
você e sempre
assim, um poeta
sensível e humilde.
Abraços