Dia Feliz


Domingo nublado. Não gosto de domingo nublado. Ele reforça a minha preguiça. Fico mais lento, mais melancólico.
Quando menino, não via a hora de chegar o domingo; de chegar às tardes de domingo. Era o meu dia predileto - tinha cinema e parque de diversão.
Não percebia se o dia estava nublado ou não, não me importava se estava chuvoso ou com ventania. Era domingo – o meu dia.
Melhor que o domingo, era a segunda-feira de novidades, gabava-me ao contar para os colegas os filmes vistos (eram sempre dois, com o canal Cem e vários trailers) recheados de guloseimas.
Ao contrário de hoje, domingo era o dia em que acordava mais cedo para aproveitar o máximo. Eu não tinha tempo a perder.
Fico tentando buscar na memória, qual motivo me levou a não mais gostar do domingo. Será que foi no mesmo momento em que acabou a sessão com dois títulos de filmes? Ou quando os parques se tornaram temáticos? Não sei.
Hoje, recebo o domingo com desconfiança. Ele é véspera da segunda. Talvez, seja porque nunca estou recuperado pra mais uma semana de brabeza. Ou simplesmente porque não tenho muita coisa para me gabar.
Acho que o domingo foi feito para as crianças. E, nós, os adultos, meros coadjuvantes deste dia encantado.


Paulo Francisco

Nenhum comentário: