Desengano

É engano! Desligo o telefone e fico pensando na frase que dei para aquela voz feminina e macia.

E quantos enganos cometemos nesta vida de Deus. Não foi um engano ter dito pra ela que era engano? De não ter dito que eu não era o Pedro, mas que poderia ajudá-la mesmo assim?

Já me enganei tantas vezes, que perdi a conta.

Já desci no ponto errado e tive que andar duas quadras, simplesmente, por te me enganado.

Já mandei cartão de aniversário para a pessoa errada e tive que rezar um rosário para explicar o tremendo engano.

Já achei que tinha encontrado um amigo, e quando bato em suas costas, vejo que a cara não é a mesma.

Já dei meu telefone errado, por um algarismo trocado e, deixei de receber um sim, para um encontro

Já cheguei atrasado ao dentista vinte e quatro horas depois.

Já me enganei, achando que iria fazer sol e não levei comigo o guarda-chuva.

Foram tantos enganos: uma amizade errada, uma catarse desnecessária, uma porrada na mesa, um adeus precipitado...

[silêncio]

Era ela de novo, perguntando pelo Pedro.

Marcamos nos falar mais tarde, depois que ela disser pra ele que foi um engano.


Paulo Francisco

2 comentários:

nelma ladeira disse...

Lindo!Muito lindo! Paulo. Fiquei meia confusa,com tantos enganos,porque já cometi vários.Mas se fosse eu esta pessoa,eu diria realmente foi tudo um grande engano!!
Beijinhos.

Isabela Assumpção disse...

Acho que vc vai gostar do meu blog!
http://servisivel.blogspot.com.br/