Eis a questão

O que faço com esta sensação de perda? Já perdi tanto nesta vida. Já entrei em coma e ressuscitei - me tantas vezes que perdi a conta. Deixei de ver o nascer da primavera; de ter os arrepios de um inverno rigoroso. O que eu faço quando a solução não está em minhas mãos? Visto o meu terno cinza e vejo o meu túmulo em mármore?

O que faço com este movimento interno que me tira do prumo? Equilibro-me? Envergo-me?

Não sei...

As linhas de minhas mãos ainda estão fortes. Meu caminho ainda tem algumas paradas. Tenho que continuar minha viagem, mesmo sabendo que a volta é sempre para o mesmo lugar. E esta sensação de peito rompido? E este barulho repetitivo de asas de odonata presa em minha cabeça? Se cubro os ouvidos, um zumbido aparece ecoando em minha cabeça; se cruzo os braços, na esperança de colar a pele rompida, eles ficam presos e não querem mais voltar a se movimentar.

Quero de volta a sensação de paz que me rodeava e eu nem ligava. Quero a sensação do frescor de um sorriso vermelho, mesmo que me mordesse de vez em quando.

Quero a pele humana me esquentando nas madrugadas de zero grau. Quero ser guiado por pensamentos lascivos. Acordar de um pesadelo e ter ao lado quem me diga: ¨ durma de Novo!¨
O que fazer quando seu corpo grita em silêncio por perdão?

Não sei...

Termino este texto sem saber o que fazer pra voltar pro meu quarto, depois de ter sido expulso de minha cama, simplesmente porque ri de seus cremes.

Tudo bem! Adoro meu sofá.


Paulo Francisco

4 comentários:

Ivone disse...

Bom dia amigo poeta, lindo seu texto/poesia, tens uma boa dose de sabedoria e sabes nos mostrar, amei ler.
Que pena né, ela não teve a mesma descontração, rs, poderia ter rido junto dos cremes, ainda bem que o sofá é confortável!
Abraços!

Paula Barros disse...

Pense antes de sorrir de uma mulher com creme. kkk

Um texto forte em muitas passagens. De imagens fortes.
abraço

Zilani Célia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zilani Célia disse...

OI PAULO FRANCISCO!
FOSTE DE ZERO A CEM GRAUS EM TEU TEXTO E ENQUANTO LIA ME PERGUNTAVA, QUAL O SENTIDO DE TUDO QUE ESTOU A LER?
UMA TRAGÉDIA?
QUE BOM, NÃO ERA E PUDE RIR TAMBÉM, É SÓ MAIS UM HOMEM QUE RIU DOS CREMES DE SUA MULHER... RSRSRSRS
MUITO LEGAL.
ABRÇS
OI PAULO FRANCISCO!
FOSTE DE ZERO A CEM GRAUS EM TEU TEXTO E ENQUANTO LIA ME PERGUNTAVA, QUAL O SENTIDO DE TUDO QUE ESTOU A LER?
UMA TRAGÉDIA?
QUE BOM, NÃO ERA E PUDE RIR TAMBÉM, É SÓ MAIS UM HOMEM QUE RIU DOS CREMES DE SUA MULHER... RSRSRSRS
MUITO LEGAL.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/