Recomeço



Voltei! Neste movimento elíptico sou um errante. Ando em círculos bêbados. Não sei andar em paralelas estreitas. Volto pra casa sempre atordoado querendo paz. Já não gosto da zonzeira etílica. Já não sei sonhar em almofadas de bali - já não quero mais. Volto ao passado criado em fumaças esverdeadas. Volto em pontos aproximados. Não tenho marco. Sou trapo remendado. Sou colcha de retalhos. Sou peça que encaixa em caixas de madeira. Sou infância imperfeita. Sou o espaço entre o violino e o piano. Sou a voz de um coral de todos os cantos.

Voltei ! Para a imprecisão retida. Para o centro da vida.

Voltei para o recomeço

Voltei para o imperfeito

Voltei em movimentos elípticos

Vago em pensamentos errantes

Volto pra terras flutuantes

Aqui eu tenho paz.




Paulo Francisco

Um comentário:

Rô... disse...

oi meu amigo,

que bom te ler novamente e poder comentar,
estar em paz é sublime e maravilhoso...
não tem preço,

beijinhos