Off


Acampei na sala de estar. Cheguei com vontade de ouvir Bob Dylan. E ouvi. O meu corpo pedia paz, minha mente exigia descanso. Entre as almofadas viajei. Viajei numa tarde de sol, entre montanhas e nuvens azuis.

Cigarros e taças de vinho acompanharam-me. Criei imagens em nuvens só minhas. Abracei o sol e escorreguei em montanhas gigantes. Sorri. Gargalhei sozinho. Cantei com o Bob e, dormi ao som de sua gaita.

Dylan por toda casa. Fiz de minha sala de estar o meu Woodstock. Imagens psicodélicas na parede somente nos quadros existentes. No incensário fumaças perfumadas bailavam em figuras surreais. Acampei e dormi.

Os meus acampamentos sempre foram para trabalhos científicos, nunca para prazer. Não comi macarrão instantâneo, nem tomei café solúvel com leite condensado. Meus luaus eram de um dia e a minha cama sempre estava me esperando no final de tudo.

Acho interessante quando ouço que fulano foi acampar por puro prazer. Fico imaginando, ele chegando ao local desejado, armando a barraca, olhando ao redor com um sorriso de fazer inveja a cara do mais alegre dos palhaços. O vizinho mais próximo se encontra a dezenas de distância numa outra barraca.

Acho muito interessante este espírito aventureiro de tomar banho de rio ou cachoeira, dormir em colchonete e comer comidas improvisadas. Lambuzar-se todo de repelente, fazer fogueira para espantar bichos e numa rodinha ao redor dela ficar ouvindo o som de violão. No inverno, então, dormir em saco de dormir, acordar e molhar a cara em águas geladas, saudar a natureza e ficar desejando um dia bom.

Acampei em minha sala de estar. É o melhor que sei fazer.


Paulo Francisco

10 comentários:

Marly de Bastos disse...

Eu também acho interessante esse espírito aventureiro que dorme em barracas, faz churrasqueira de pedras, e dormem com as cobras. Até já fiz isso, não pelo espírito aventureiro, mas por amor à família. Eu hj acampo no quarto, e converso com minhas escritas. Ou viajo nos livros que prazerosamente leio.
Gostei do texto, Paulo Francisco e o cantor também gosto, embora quando acampo prefiro silêncio total.
bjkas doces

ॐ Shirley ॐ disse...

Paulo Francisco, percebe-se que você tem bom gosto.
Beijo!

✿ chica disse...

Na tua varanda, pelo menos, não terás os indesejáveis mosquitos dos acampamentois,rs abração,chica

Ivone disse...

Ah, amigo, quem dera todos tivessem essa sua linda vida, onde podes ouvir Bob Dylan em sua sala tranquilamente e lá fora a beleza da natureza que podes cultuar na maior calma!
Meu filho adora essa Vida, de tanto sonhar ele conseguiu, mudou-se para o Amazonas, está morando em Manaus, bem pertinho do Aeroporto onde trabalha, mas pode ir em inspeção nos acampamentos na selva, a trabalho é claro, mas adora a natureza, ele é do meu signo, pisciano incorrigível,rs!
Abraços, amei ler aqui como todos os seus posts!

Van disse...

Oi Paulo

Sou deste time que só acampa em sala estar.

Natureza é tudo de bom, mas conforto e segurança tem em mim um apelo maior.

Beijos

Artes e escritas disse...

Acampar na sala de estar é muito, mas, muito, confortável :) Um abraço, Yayá.

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Olá Paulo, vim lendo por este mundo virtual e acabei aqui, em seu blog.Acampar.....quanto significado tem esta palavra,mas não são muitos os que gostam literalmente de fazê-lo ao relento da natureza. Eu amo a natureza, mas dormir assim, comer algo improvisado não é comigo. Afirmo isso porque já fiz está aventura e não gostei nada. Muito bom e bem construído o seu texto.
Grande abraço!

Anne Lieri disse...

Paulo,já acampei muito na minha vida mas hoje com meus tantos anos quero mais é acampar na minha sala de estar tb!...rss...adorei sua cronica! bjs e boa semana,

nelma ladeira disse...

Eu também acampei durante 10 anos seguidos,antes era ótimo!
Agora realmente eu prefiro acampar na minha sala de estar!
De preferência no meu quarto.
Adorei sua cronica beijinhos,e uma linda noite!

Luma Rosa disse...

Oi, Paulo!
Por coincidência estava ouvindo Bob Dylan - você pode conferir aqui. Também gosto de acampar na sala com o conforto que conquistei. Quem tem esse espírito aventureiro, compra um pacote de emoções para fugir da rotina. Mas depois de um tempo, esse pacote também se torna rotina.
Já acampei quando era criança com meus pais e não me lembro de coisas ruins, mas o sol foi difícil de controlar e voltei cor-de-rosa pra casa! Vou te dizer outra coisa, gosto do 'conforto' da rotina, de poder ouvir uma boa música com uma taça de vinho acompanhando... Isso não tem preço!
Boa semana!!
Beijus,