Prazerosamente

















A chaleira apita lá na cozinha. Saio de minha mesa e vou preparar um café. Coloco o pó no coador e despejo lentamente a água quente sobre ele. Viajo naquela transformação. A água, que antes era inodora, insípida e translúcida, se transforma num líquido marrom e aromático. Desce do coador para o bule a minha vontade, a minha alquimia.

Mas a minha viagem não para na mistura do sólido ao líquido. Eu vejo que além desta transformação a água também muda seu estado físico – ela evapora – formando uma nuvenzinha dançante, frenética, quase transparente, escapando dos meus olhos e desejos. Não ligo. O que eu quero está aprisionado no bule.

Olho para a xícara e para a caneca e, resolvo apoderar-me da caneca. Ela cabe mais café e, eu, estou sedento de vontade.

Volto para o escritório e começo a sorver lentamente aquele líquido quente e marrom. Sorvo em goles pequenos. Degusto-o como se fosse o mais sagrado dos líquidos.

Nem amargo, nem muito doce – ele está perfeito no sabor e na temperatura. Deixo tudo que estava fazendo pra ficar ali soprando aquele liquido quente e admirando minha vista da janela lateral. Ali vejo casas, pessoas, carros, montanhas e um céu alaranjado.

Deixo o líquido aquecer minha língua e garganta, percebo quando chega a meu estômago. Cada gole, um dever cumprido, uma vontade saciada.

E no último gole a surpresa no fundo da caneca, aquele liquido, nem amargo e nem doce, se mistura ao açúcar que sobrara, ofertando-me, naquele último gole, uma pasta morena cheio de afeto.

Saciado, volto à cozinha e, devolvo a caneca ao seu lugar, mas antes, lavo-a com a mesma água que antes se transformara em café e vapor.



Paulo Francisco


¨



7 comentários:

Marli Soares Borges disse...

Lindo texto e gostoso o café!!! Acho que vou sair agora e fazer o meu. Hummmm, fiquei com vontade!!! Bjs. Marli

Gracita disse...

Oi Paulo
Senti daqui o aroma deste cafezinho tão saboroso. Lindo e gostoso de ler
Desejo que você consiga realizar em 2014 todos os sonhos que ficaram pendentes em 2013 e que no ano vindouro você tenha 2014 motivos para sorrir. Que a felicidade seja seu par constante nas trilhas da vida. Que os seus caminhos sejam atapetados com chuvas de pétalas perfumadas para que o seu coração não conheça mágoas e nem tristezas. Um feliz e abençoado natal para você e os seus.
Gracita

frô disse...

Pude sentir o gosto, o cheiro. Pude vê-lo.

Milene Lima disse...

Eu também sempre prefiro nem amargo nem muito doce, em canecas porque elas são mais receptivas.

Delicioso e aromático texto. Pude sentir o cheirinho da água metamorfoseada.

Beijo. Bom Natal.

may lu disse...

Hummm... Cheguei quase a sentir o aroma desse café. Também adoro um cafezinho! Grande beijo

may lu disse...

Desejo-lhe um natal e um ano vindouro de muita luz, paz e amor! bjs

brisonmattos disse...

absolutamente lindo!