Intimidade




Quem canta seus males espanta. Nunca cantei para espantar nada e nem ninguém. Até porque, só canto debaixo do chuveiro. Ou baixinho na ponta da orelha de alguém.

A professora de música odiava quando errávamos o Hino Nacional. Logo percebemos que em vez de liberdade, retumbante, se disséssemos liberdadi ou retumbanti, ela parava tudo e começava a bravejar até espumar como um cão raivoso. Adorávamos vê-la nervosa. Ação de crianças inocentes e felizes.  Sempre tinha um  ¨anjinho¨ para errar o Hino só para vê-la daquele jeito.

De repente ouço uma voz macia quase angelical cantando na ponta da minha orelha. Acordei num espreguiçar demorado e amoroso.  Tem música que dá sambinha do bom. Tem música que funciona melhor em duo. Aí eu canto, canto sim. Canto e declamo Cecília porque certamente tenho motivo para cantar.

- Paulo, você foi ao show de fulano?

- Não!

- Paulo vai ao show de sicrana?

- Não, não vou não...

Não sei se estou menos musical, ou se estou mais seletivo.  Prefiro ouvi-los na ponta da minha orelha ou num duo testemunhado pelas estrelas e corujas.

Sei que tudo isso é fase.  Como está sendo fase o fato de não estar escrevendo tanto.  Mas dizem que o silêncio também é música para muitos. Talvez seja também para mim.

Adoro estar no meu canto ouvindo o seu canto na ponta da minha orelha. Se quem canta seus males espanta, nesse meu caso, quem canta me encanta em desejos. Agora, agorinha mesmo, ouço as canções que ela deixou para mim. Talvez eu não esteja menos musical. Talvez eu só não queira misturar as estações.


Paulo Francisco

8 comentários:

✿ chica disse...

Nos permitir ouvir as músicas de dentro de nós, por vezes é necessário! Lindo! abração,chica

SOL da Esteva disse...

Um bom texto e um episódio que me é (foi) familiar; também com o Hino Nacional.
De repente, retrocedi no tempo.
Também gosto mais da música no ouvido.
Gostei, Amigo.

Abraços


SOL

Nelma Ladeira disse...

Lembro que minha professora chegava dobrar a língua!Para nos ensinar á cantar o Hino.
É muito bom cantar!
Só uma vez escutei alguém cantar na ponta da minha orelha!E me apaixonei pelo canto...
Lindo texto!
Beijinhos.

Vanuza Pantaleão disse...

O som do silêncio, já dizem os místicos, é o mais divino e difícil de ser pressentido.
Também tenho esses momentos assim, amigo. E não são momentos de solidão, são fases de "falar com as estrelas", como bem me disseste.
Que bom que meu postzinho te trouxe a lembrança do teu filhinho.Obrigada pela visita!
Beijinho carinhoso...

lis disse...

Quem nao estaria musical ouvindo músicas ao pé do ouvido? o texto reproduz sua felicidade dual.
parabéns!

abraço

Brisa Petala disse...

OLÁ PAULO
Passando para te fazer uma visita. Só cantando para espanatar as tristezas. A música faz bem ao coração.
Ana

Van disse...

Que lindo isso Paulo!

Que seja sempre doce assim os cânticos dessa sua estação.

Beijos

✿ chica disse...

Paulo que bom que gostaste dos RISCOS por lá! Permitido o "roubo",rs..abração,chica