Súbito



A temperatura baixou bruscamente. O dia ficou gelado, encolhido, seduzindo a preguiça.  Cobri-me com a penumbra da tarde e deixei guardado na caixa do tempo todos os compromissos.  Deitei-me na esperança de sonhar colorido. Eu não gosto de dias cinzas quando estou em casa. Principalmente quando eles vêm com chuva fina, impedindo-me de ficar na varanda. É dela que tenho a melhor vista. E é nela que encontro o meu horizonte.

A temperatura caiu tão rapidamente que não tive tempo de reagir. O dia surpreendeu-me com suas mãos frias e úmidas. Eu não gosto de surpresas geladas. Eu não gosto de sentir frio. Tornei-me a cabra-cega no meio do redemoinho. Perdi meu norte. Fiquei sem ninho.

A temperatura diminuiu tão bruscamente que paralisou o meu peito. Deixando o meu coração aflito. Eu não gosto dessa disritmia desesperada como se estivesse por um fio.

Foi tudo tão repentino que fiquei perplexo com tamanha frieza. 

Paulo Francisco

3 comentários:

✿ chica disse...

Ninguém aguenta a frieza e cerração, neblina assim... Dentro ou fora precisamos cores! abraços,chica

Sonia disse...

De repente, não mais que de repente.

Nelma Ladeira disse...

As coisas acontecem tão rapidamente que me assusta.
Assim como a mudança da temperatura.
Eu também não gosto do frio,e nem de surpresas.Adorei o texto!
Boa noite Paulo.