Emocional

Resultado de imagem para halo solar

O vento que surgiu na minha varanda agitou tudo. Tremulou as coisas e arrepiou a alma. Carregou consigo as nuvens e os meus pensamentos. O céu se mostrou mais azul e meus olhos mais castanhos – talvez por ter levado a chuva para além da montanha e as lágrimas para outro lugar.

Ontem, não queria me levantar, um tipo de paralisia emocional. Estiquei as pernas ao máximo. A coluna seguiu meus braços longos e finos numa tentativa inútil de sair daquela posição protetora e infantil.  A fumaça engolida, inflava os meus pulmões e viajava pelas artérias em sonhos e ventania. Segurei na cauda do vento e deixei levar-me para além do halo que cerca meus olhos marrons. Gosto das figuras formadas nesse meu céu inventado. E quando tudo acaba, estou menos pesado e mais flexível. Mas nada disso conta se a pele que estou vestindo não suporta o frio invasor que insiste em visitar-me nas madrugadas embaçadas – volto ao denso líquido amniótico na esperança de libertar-me do imenso emaranhado existente. O sonho me é sagrado somente quando nele você está.

Às vezes, prefiro o sono silencioso, sem personagens e paisagens. Acordar sem a lembrança do ontem. Começar a vida quando os meus pés tocarem o piso de madeira do meu quarto.

Às vezes, prefiro levantar-me sem a certeza de nada. Seguir a vida levado pelo vento. Cobrir-me de nuvens e regar o chão por onde piso.

Às vezes, prefiro continuar no ninho, coberto pelas palhas soltas e protegido da incerteza do mundo. Ando meio cansado de tudo.

Às vezes, acordo querendo sentir o sol.  Olho para o céu na esperança de vê-lo. Mas se o dia está nublado e frio; aqueço meu corpo com uma taça de vinho, e a minha alma com a certeza de um dia melhor.


Hoje, acordei com os olhos brilhando depois de um longo sonho. Seria profano se nele você não estivesse.

5 comentários:

brisonmattos disse...

Acho tão lindo seu jeito de escrever assim, inspirado...humm!

Nelma Ladeira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Simone disse...

Bom dia miguxo poeta.
"Eu prefiro acordar com o silencio,
batendo em meus eixos e causando efeitos
colaterais nos meus nervos.
Prefiro acordar com a alma muda, e depois
de levantar, regar com minhas lagrimas, a pequena muda.
Tenho em mim muitas vontades. Talvez, por querer demais,
não sentir mais vontade.
Eu prefiro acordar com a escuridão, pois nela consigo refletir
a luz que em mim habita e se mistura a solidão..."

Adorei voltar a te ler e poder interagir de novo, e de um modo novo!
Abraços poeta.

Rita Sperchi disse...

Passando para deixar um abraço como
sempre ver e gostar do seu post,desejar
um final de semana cheio de muita paz
Boas amizades sempre é um privilegio ter
Bjuss com meu carinho de sempre

└──●► *Rita!!

Menina Marota disse...

Não sei que caminhos me trouxe aqui mas por cá fiquei lendo e... gostei. Obrigada pela sua escrita tão sensível.