Mania



Pin-ups.jpg

Toda mania tem um dono. Ou seria melhor dizer que cada louco com a sua mania? Não importa. Até porque se ela é sua, ninguém tem nada a ver com isso. Ou teria?  Se a palavra for levada ao pé da letra, aí fica complicado. Pois, a palavra vem do grego, e significa estado de loucura. Então sou louco por isso?  Talvez seja. Quem sabe?!

Maria me liga:

Papo vem, papo vai, e boom! Veio à pergunta que não queria calar:

- Paulo, você respeita as manias dos outros da mesma forma como gostaria que respeitassem as suas?
Confesso que nunca tinha pensado nisso e demorei pra entender o que ela estava querendo dizer naquele momento.  Respondi que não estava entendendo e não conseguimos continuar com aquele assunto tão complexo. Só depois, muito depois, fui entender que estava atrapalhando-a, mais uma vez, a assistir sua novela.  Será uma mania brasileira? Ou por ser coletiva deixa de ser mania.

Lembro-me de ligar para uma amiga:

- Oi fulana! Tudo bem?

- Tudo. Você pode me ligar depois. Estou vendo a novela.

- Ok.

Nunca ligue para um fanático de futebol as quartas-feiras e ou aos domingos na hora do jogo. Mesmo que os times que estão jogando não sejam o time que ele torce. Mania brasileira?

- E aíí camarada, tudo bem?

- Pô cara! Tô vendo o jogo.

- Mas você é vascaíno... Quem tá jogando é o flamengo.

- E a torcida contra?

Calo-me diante da pergunta. Vai entender os maníacos pelo futebol.

Voltando lá para o primeiro diálogo, penso que talvez Maria tenha se confundido. Não são manias o que tenho, são comportamentos que fogem ao padrão normal. Sou um antissocial por isso? Acredito que não. Mesmo não atendendo ao telefone, não gostando de celular, odiando cerimoniais, preferindo reuniões com poucas pessoas, evitando aglomerações, não comemorando aniversário, não curtindo as festas de final de ano, e só recebendo em minha casa, aqueles que realmente eu gosto de tê-los próximos a mim, não me considero um ser antissocial e sim seletivo.

Incomodo as pessoas por isso? Devo incomodar.  Fico incomodado também? Não mesmo.  Afinal de contas, cada qual com as suas manias.

As minhas verdadeiras manias, eu as guardo só pra mim. Têm algumas, confesso, que acabo divido com quem está mais próximo.


Maria me ligou hoje.  Ela, eu sempre atendo. Uma mania – é quase um vício ouvi-la todos os dias.




Paulo Francisco 

7 comentários:

Nelma Ladeira disse...

Eu já fui para as pessoas uma mulher antissocial,
e isso me incomodava muito! Mais na verdade eu era uma pessoa muito tímida.
Mais com o passar do tempo,fui trabalhar e melhorei bastante.
Mais também tenho minhas manias,adoro ficar isolada,não gosto de tumulto.
Toda pessoa tem suas manias,pelo menos as minhas não prejudica ninguém,mais incomoda muita gente.
Adorei seu texto Paulo.
Beijos.

brisonmattos disse...

Ah sei lá...Acho que tenho a mania de querer falar com você, em vez de te ler no virtual.
Mas agora fiquei curiosa. Qual desses beijos você mais gostou?

Maria Luiza disse...

Concordo, Paulo, cada louco com sua mania e repare, às vezes só Freud explica.
Nem sei das minhas agora. Será que as tenho? Que 2016 seja próspero em saúde, alegrias, aprendizado, crescimento e o que há de melhor! Beijos, abraços e muitas manias!!

Paula Barros disse...

Mania, quem não tem?
beijinho

Amapola disse...

A minha mania é ficar no meu canto. Sou antissocial até nas redes sociais. Acho que é por isso que adoro os blogs. Visito-os o máximo que posso, porque parecem um templo silencioso.

verinha disse...

Que faça uma boa viajem

verinha disse...

Que faça uma boa viajem