Memória II








Chegava morto de fome. Sabia que ali não me faltaria um rango.  Ele já me olhava com um sorriso na cara. A larica era maior que o meu estômago, as garfadas eram maiores que a minha boca. Era um tempo que eu tinha fome e sede do mundo. Dormir só depois de lutar muito contra o sono – não queria desperdiçar o meu tempo com sonho; queria vivê-lo de imediato.

Ontem recebi um amigo em minha casa. Ao abrir a geladeira ele riu e exclamou:

- Sua geladeira parece um coco!

 Totalmente distraído perguntei-lhe por que e ele me respondeu as gargalhadas:

- Pô camarada, só tem água!

Rimos. Fomos parar num bar pra matar mais a sede do que a fome.

Hoje quando a larica chega, não tenho mais aquele amigo pra matá-la. Corro ao restaurante e bato um rango daqueles.

Hoje senti uma saudade enorme daquele tempo. Não pela vida desregrada, mas por ter ele perto de mim – meu grande amigo que nunca me desamparou nem mesmo nas minhas piores devassidões.


Paulo Francisco

Nenhum comentário: