A chave segredo

Cadê a chave!? Todos os dias eu uso a mesma frase. Não aprendo. Eu nunca sei onde o meu molho de chaves está. Incrível como ele desaparece tão rápido.

Por causa desta falta de organização, deste meu lado bagunceiro e displicente, eu acabo ficando em apuros.

No trabalho quando chego com a cara de atleta que acabou de cruzar a linha de chegada, todos já sabem e dizem: – ¨Não encontrava a chave, por isso do atraso!¨

Coitados dos courrier, motoboy, carteiro e amigos. Atendo da sacada já gritando:

- Oi! tô descendo. (O cara acredita).

Dano a procurar a chave. Mentalmente, eu retorno ao meu portão na noite anterior e, tento fazer o caminho, passo a passo, pra vê onde eu deixei o bendito chaveiro. Nada. Volto pra sacada e digo:

- Peraí, to procurando a chave... um instante!. (E ele espera).

Volto de novo à sacada, angustiado e preocupado com o camarada a minha espera, grito:

- Aí, bacana, não tô encontrando a porra da chave, espera mais uns segundinhos que eu já vou descer.

Visto uma bermuda, porque, geralmente, quando toca a bendita campanhinha, eu estou na boa, tranquilão.

E quase sempre tenho que pegar a encomenda pelo muro ou, peço para o entregador deixar do lado de fora do portão. Assino a entrega e volto à procura da infeliz.

Subo, sempre, dizendo:

- Onde eu botei a bosta da chave!

Eu estou sempre procurando:

- Cadê a chave?

- Cadê o livro?

-Cadê a minha bolsa?

- Onde eu deixei aquele documento?

Agora, estou tentando policiar-me, assim que chego, tento deixá-la num lugar específico, mas é difícil, muito difícil, uma atitude metódica, pra quem sempre foi desorganizado.

Nesta tentativa de me livrar de alguns caos em minha vida, acabei encontrando outra chave. Uma chave pequena, que estava perdida há muito tempo, mas que abre um compartimento imenso.

Corri até uma das gavetas e peguei um cordão antigo e a prendi nele.

Agora ele anda sempre em meu pescoço e ela bem próximo do meu peito. Toda vez que alguém tenta trancar o meu coração, eu vou lá e abro de novo.



Paulo Francisco

2 comentários:

Paula Barros disse...

Esta é a chave mais importante, e encontrou uma boa solução para não perdê-la.

Esta semana foi uma semana que li vários textos do seu blog, e estou encantadíssima. Quando lemos vários, com calma, percebemos mais a qualidade da escrita, da construção do texto, da criatividade.


beijo

nelma ladeira disse...

Oi Paulo,adorei seu texto é simplesmente lindo!Sendo desastrado como você escreveu,foi a melhor maneira de guardar a chave.
Essa chave tem realmente uma grande importância pra você!
Para o homem é muito fácil dizer.Toda vez que alguém tenta trancar o meu coração, eu vou lá e abro de novo.
Beijinhos e um ótimo fim de semana.